No Twitter

    follow me on Twitter

    Até lá.

    >> 01/12/2009

    Read more...

    Dispensável

    >> 10/10/2009


    Sinceramente, olhando a números, parece-me que o efeito mais perigoso da epidemia de gripe A está longe de ser o dos casos mortais. Se estou louco? Talvez... Mas explico melhor o meu raciocínio numérico:

    Como era fácil supôr, a OMS confirmou há bastante tempo que a produção da vacina não será suficiente para abastecer toda a população mundial. Teremos talvez 3000 milhões, no total.
    Dessas, a maior parte das doses foi comprada por países pagantes (ainda que a agência tenha anunciado que doará 100 milhões de doses às nações mais carentes, principalmente na África).

    Está assim feita a primeira selecção. 2900 milhões viajam para quem as pode comprar.

    Portugal é um destes países. O Governo encomendou 6 milhões de vacinas, que devem imunizar 3 milhões de pessoas. Nem um terço de nós, portanto. 

    Segue-se o processo de escolher... quais.

    A primeira proposta para a criação de grupos prioritários de vacinação foi apresentada pela Comissão Europeia. O documento sublinha que cada Estado-membro tem a responsabilidade de definir uma estratégia de vacinação contra a gripe A (H1N1).

    A Ministra da Saúde já disse que o processo de distribuição pela população começará pelos grupos de risco. Depois, seguirá o seu rumo com critérios de "equilíbrio" e de "equidade", seguindo a cartilha da OMS.

    Ora, a OMS (cujos critérios não encontro à vista no seu site) não vai decerto ao ponto de definir com exactidão quem é ou não é prioritário em cada em cada família empresarial ou empresa. Todos os bombeiros? Não, os essenciais. Todos os polícias? Não, os indispensáveis. Todos os juizes? Não. Os que tiverem que ser... Todos os políticos? Todos os...

    É este o ponto. A quem cabe definir quem é prioritário? Alguém tem que decidir, isso é certo. As áreas que prestam serviços essenciais preparam-se pois para estabelecer uma hirarquia social de emergência, cujo potencial crítico me deixa apreensivo. Vamos inocular quantos de cada? E quais? Mais polícias ou mais bombeiros? Mais médicos ou mais enfermeiros? Nas empresas das Águas, por exemplo: é mais importante salvaguardar um terço dos administradores ou todos os tratadores? E no hospital, parte dos guardas à porta para o defender o caos ou todos os enfermeiros para ajudar os doentes? E os horticultores? Todos, porque a fome mata mais que a gripe? Ou só os donos dos laranjais porque a vitamina C é vital? 

    Façam um exercício: no dia em que uma estrutura decidir - porque assim terá que suceder - vai ter que comunicar a sua decisão. Está preparada para o fazer? Como o fará? Tem sensibilidade e tacto para escolher e revelar a sua escolha? O Estado espera que tenha, ou já vai preparando uma campanha de formação e sensibilização? 

    Lembro-me de uma anedota: Um comandante militar recebe a notícia do falecimento da mãe de um soldado. Pensa um momento e acredita ter descoberto a maneira mais fácil de dar a horrível notícia ao rapaz. Manda formar  o batalhão na parada e grita: "Quem tem mãe, dê uma passo em frente!". O soldado deu... e ele gritou: "Tu não, seu burro!"

    Temo que a sensibilidade social da maioria das estruturas hirárquicas esteja ao nível do seu desempenho empresarial... E que mais de dois terços da população, a partir do dia 20 de Outubro, não esteja preparada para ser confrontada com a realidade de, à luz de um qualquer critério vital, ser ...dispensável, mas ter que continuar a fazer mover o Mundo como se não fosse.

    Mesmo que, ironicamente, a vacina apressada e mal testada se revele - clinicamente - mais problema que solução, o mal maior estará feito.

    Temo que na pátria do Fado, sem um plano nacional de contingência para a insensatez, o vírus da exclusão faça muito mais vítimas que o da Gripe A. 

    Suina forma de vida... 




    Read more...

    Mudança

    >> 21/09/2009

    17:25 PM, 21/09/09

    A hora e o dia são um registo, mas também o que menos conta.
    Na hora da mudança, interessa sobretudo que o passo seja firme e entusiasta.
    Na hora da mudança, o mais relevante é dizermos ao Mundo que estamos dispostos a arriscar um caminho novo, pelo menos para nós, ainda melhor se para todos.
    Mudar deve ser o anúncio de que estamos dispostos a desbravar, descobrir, a mandar os limites antigos às malvas, à procura de soluções não testadas.
    Tem riscos? Tem. Mas como pode o Mundo dar-nos novas oportunidades se não lhe dissermos que estamos disponíveis para elas?
    -Olá Mundo! Decidi que hoje é dia de mudança.

    Read more...

    A lei lava mais branco?

    >> 15/09/2009

    Com as últimas pérolas do caso Apito Dourado, fico com a sensação (quem sabe se errada) de que a Lei portuguesa já é mais eficiente que os detergentes, na lavagem das nódoas difíceis.

    Ainda que, ao contrário do que se passa com o o OMO, o SKIP e o TIDE, não haja "estudos comprovados pelos melhores especialistas".
    Já estou a ver os produtores a reclamar...

    Read more...

    Gelo sentimental

    >> 09/09/2009


    Na Noruega, Michael Nolan testemunhou esta manifestação silenciosa.

    No final, o gelo também chora.

    Read more...

    O Galo Cantador

    >> 29/07/2009

    Bem vistas as coisas, este Tour foi ferido de previsibilidade.
    Os Pirinéus transpunham-se demasiado cedo para serem influentes, o Tourmalet e o Aspin foram remetidos para o papel de meras passagens. O fim das bonificações em tempo matou a relevância competitiva das etapas de transição, o Mont Ventoux no penúltimo dia ameaçou o carisma dos Alpes e assim sucedeu. Alberto Contador anunciava-se como favorito e foi o justo vencedor.

    Então, o que conferiu afinal espectacularidade e interesse a esta edição da prova? O regresso de Armstrong.

    Por alguma coisa o sal e a pimenta vão juntos à mesa. A variedade do condimento permite a um prato sensaborão ganhar versatilidade, personalidade a gosto de quem o consome. 

    E, nestes dias do ciclismo in vitro, Armstrong deu ao Tour um paladar irrepetível.
    Na perspectiva de Contador, Armstrong foi sempre uma ameaça. Porque sem ele o Tour seriam favas contadas, com ele ia-se a hegemonia na equipa, nas atenções, no protagonismo mediático, na admiração dos fiéis seguidores da maior prova do mundo velocipédico.
    Faça-se um exercício…
    Se Armstrong não tivesse regressado, Contador não seria para todos o mais-que-tudo da prova, o sucessor seguro do americano e de Indurain ao mesmo tempo?
    Reparem na forma única de pedalar do espanhol, quando explode, montanha acima…
    Não viram já aquela técnica em algum lado? 
    Ironia das ironias…
    É a forma de pedalar, de se insinuar perante a maioria num exercício que ninguém mais alcança a prova provada da mentira de Contador. 
    Ele admirou Armstrong sim, ao ponto de o tentar repetir, igualar, imitar… 
    O que ele não perdoa ao americano é o facto de ter regressado neste Tour, dividindo com ele as primeiras e segundas páginas, os gregários e o amor do técnico e da equipa. 
    Foi incapaz de descortinar que a colagem aos feitos de Lance lhe era possível neste Tour, mais que em qualquer outro… Mas este campeão tinha um plano feito há tanto tempo, tão pensado ao pormenor que já não havia espaço para um improviso. 

    No desenho feito por Contador, Armstrong foi a moldura que, irritante, resolveu entrar no quadro.
    Alberto é um corredor formidável, merece este e vai merecer os próximos triunfos.
    Faltam-lhe algumas peças do puzzle, é verdade. Nunca há-de entender que não se é gigante gritando a pequenez que vê nos outros.
    Alberto rasgou a tela e nem percebeu que, regressando, Armstrong lhe deu de mão beijada a oportunidade de uma vida… Ser o seu sucessor e herdeiro na admiração de todos os que, no Mundo inteiro, amam o Tour.
    Em Pinto, no seu mundo pequenino, todos lhe deram razão e ele ficou satisfeito por já ser galo.
    Trocou o pódio por um poleiro.

    Read more...

    Bela prenda!

    >> 17/12/2008

    Veja aqui.

    Read more...

    O Circo

    >> 27/11/2008


    Se for ao Circo e:
    O elefante estiver coxo;
    O palhaço estiver constipado;
    O apresentador ficar nos bastidores porque está afónico,
    O que faz?

    Se for ao Teatro e:
    A figura principal estiver de baixa;
    O cenário estiver rasgado;
    A iluminação estiver fundida,
    O que faz?

    Com grande probabilidade, sai no minuto seguinte, exige o dinheiro do bilhete de volta e dão-lho, sem mais.
    Esta é uma verdade assente no Mundo do Espectáculo?
    Parece que é, mas não é:

    Há um apenas em que a relação Produtor/Cliente se subverteu de tal forma que, se o público não gostar do show e se recusar a bater palmas, é enxovalhado descaradamente pelo incumpridor... e o enxovalhado ainda acha que isto é normal.

    Consegue desvendar a adivinha?
    Deixo uma pista, se ainda não chegou lá:

    É o espectáculo mais bem pago do Mundo...
    E não, o burro não sou eu.

    Read more...

    O centro

    >> 21/11/2008



    Afinal, qual é o nosso lugar no Mundo? Ao centro, responde o Ego.

    Tantas vezes, tantas delas inconscientemente, serve o mapa acima para ajudar a ilustrar uma verdade para mim oculta, que descobri e me obrigou a reflectir sobre o conceito em Pequim. Pesquisei e encontrei-o neste mapa japonês.

    Nunca me ocorreu que o mapa que sempre estudei reflectisse tanto o Ego ocidental. Foi no dia em que me confrontei com o seu equivalente que me apercebi e agradeço-lhe a revelação. Se eu fosse Chinês, Portugal era o longínquo Extremo ocidental do meu Mundo e os Estados Unidos, por exemplo, a grande potência... do Leste?! Um autêntico Império do Sol Nascente, nos antípodas de uma África tão perto e tão distante...

    Só não mudaria o meu eixo vertical por respeito às leis da física, assim deixadas em Paz pelos Egos do Mundo plantado no hemisfério Norte. A menos que todos nos tenhamos que mudar para a Antártida com os Egos Às costas, ao menos essa verdade permanecerá segura... e global.

    Read more...

    A verdade e a mentira


    Desculpem se me recuso a colar-me há maioria, mesmo sob o risco certo de ser cilindrado. Vamos lá então: Canso-me de ler que este, aquele e o outro estão fartos das notícias sobre o Cristiano Ronaldo. Mas... se todos estão assim tão fartos do tema, porque é que tanto se escreve nos blogues sobre ele? Neste ambiente, é fácil fugir à ditadura do "jornalismo"!
    Disse ditadura? Sim. Nesse caso, só um louco seria capaz de omitir (censurando????) a verdadeira histeria que tomou conta dos preparativos do jogo de Brasília . Quem lá estava testemunhou-a e relatou-a, quem cá estava tratou-a, assistiu e, como se prova por todos os comentários, o trabalho foi visto com toda a atenção por todos os que criticam. ´
    Seguramente, adivinho que desta vez foi fácil aos jornalistas impor peças granditas aos responsáveis dos jornais para os quais trabalham e não terá sido difícil a estes cedê-lo...
    Nem terá sido preciso que os mesmos "requisitassem o conteúdo" que se impôs por si...
    A culpa do gigantismo a que Ronaldo e a sua questão atingem não é senão do público que o alimenta: nós todos.
    Se todos os que o afirmam estiverem mesmo fartos dele, ele perde valor comercial. As marcas não lhe dão os milhões, os clubes também não...
    Por exemplo: No dia 19, a reportagem da RTP sobre a incontornável histeria em redor do Ronaldo, foi incluída no noticiário mais visto do dia, o Telejornal. Foi vista por... um milhão, quatrocentas e setenta e duas pessoas e durou mais de dois minutos. Só se todos os que estão fartos do tema mudassem de canal admitiria ser verdade o que professam... Mas afinal, durante a mesma peça, "saíram" apenas 50 mil espectadores... quando a reportagem deixou de falar do Ronaldo e passou a falar da antevisão do jogo propriamente dito. É elucidativo?

    Dizem-me as audiências que os portugueses mentem descaradamente quando escrevem:
    Defendem uma coisa nas suas opiniões, praticam outra nas suas atitudes. Venha quem prove que isto é mentira, façam o favor...
    Em suma, se querem a minha "verdade" para alguma coisa:
    A culpa do que temos é de todos... mais do que dos jogadores, dos jornalistas, dos seus chefes... É do público. Quer mudar a realidade? Pode começar por ser coerente e praticar o que defende... Um abraço a todos.

    Read more...

    Cores

    >> 10/11/2008



    Alguém me explica qual dos moços é o novo presidente dos Estados Unidos? Será o azul, o amarelo, o branco ou o vermelho? Pois bem, vou ajudar: todos menos um são uma criação minha, em poucos minutos de Paintshop. Curiosamente, o branco é o original, numa foto que, sob a hipersensibilidade do preto e branco, ousa desmentir o que tanto se afirma por estes dias... que é este o primeiro... negro a presidir à América.

    Com franqueza, politicamente incorrecta:

    Onde todos querem ver negro, eu, que não sou racista nem daltónico, vejo todos os dias um tipo de tez creme, tipo galão claro bem mexido. E até encontrei um termo de comparação, para quem precisa de pantone, que me parece convincente... e claro:

    Vem isto a propósito do racismo inerente à coisa da côr: quando não se é recista, a côr não importa, certo? Então, se não importa, porque choraram tantos negros de tão comovidos com o pretenso momento histórico? Porque é que tantos brancos sublinharam que este é um ponto de viragem? Então... e como ficam na história os amarelos, orfãos desamparados nesta "guerra" a preto e branco?
    Caríssimos: se era desta desculpa que precisavam para ultrapassar a questão da côr, das três uma: ou ficam à espera que um futuro presidente verdadeiramente escuro para fazer juz à escala, ou passam a sonhar pelo dia que os americanos elejam algo verdadeiramente raro, como um tipo azul às bolinhas amarelas, ou aceitam que o Presidente mais negro da América está neste momento a fazer as malas para regressar a casa.
    Para mim, George Bush é a imagem perfeita de um presidente negro, como o petróleo que gastou e o fumo que produziu. E a esse, chamavam-lhe... branco?
    Recuso-me a endoidecer com a maioria:
    Para mim, o Obama é tão negro como o rosê é tinto... E sabem que mais?
    Estou-me nas tintas para isso, desde que não ajude a que nos pintem o futuro... de negro.
    Nisso sim, importa-me a côr.

    Read more...

    Fabuloso

    >> 17/06/2007

    Pura magia, aqui.

    Read more...

    Prémio "Don't give up" 2007

    >> 19/05/2007

    10-Month-Old Baby Gets Gun Licence
    A 10-month-old baby from Chicago cannot walk or talk but he does have his own gun permit. Bubba Ludwig's father got the licence by filling out an online application. See raw footage of Bubba and hear what his father has to say.
    Sky, 19/05/07

    Read more...

    Absurdo

    >> 18/05/2007

    Li no Abrupto, mas podia ter sido no Absurdo.
    Mas se assim fosse, disfarçado de elitista, o crítico aproveitaria o seu conhecimento da técnica televisiva e a ignorância justificada do público (que consome mas não faz televisão) para uma apenas Esperta observação. Porque no Absurdo, um Esperto saberia que na RTP não há nenhum programa de notícias que comece às 8 da manhã, mas esperaria que nem todos soubessem ou reparassem.
    No Absurdo, um Esperto saberia que o programa abre mais cedo, que o alinhamento tenta servir a diversidade que o público pretende num programa de informação com mais de 3 horas. Que o genérico das 8 apanha o mesmo público que acaba de ver servidas as histórias verdadeiramente importantes, entre um copo de leite e um croissant, ou entre a escova de dentes e a lâmina de barbear...
    Que "no espaço nobre por excelência das notícias" cabe muito mais que a desgraça de uma menina ou o aumento da taxa de juro. Que de manhã, há quem goste de rir com o ridículo a que se chega noutros lados... Como eu, por menos elitista que seja. Mais não seja porque assim não me sinto só no absurdo a que os políticos portugueses - por mais Espertos que sejam - nos tentam conduzir.
    Eu rio, de manhã, com a "notícia" do cachorro e quero continuar a rir. Por mais que custe aos Absurdos fretistas que nem para morder a Informação preferida dos portugueses ( em nome de quem????) têm coragem de usar os próprios dentes.

    Claro que no Abrupto um Elitista não faria algo tão tenebroso, portanto não será o caso...

    Caramba! ... Será que?...
    Afinal reparei agora que na Sky ficou tudo a tremer...
    A Top Story da Tarde já passou a breve! Será medo de que, em nome de um Pequeno ou de um Bálsamo qualquer, um Absurdo os questione abruptamente? Terá Blair um inimigo Absurdo com um blogue elitista?
    Ou então, será porque porque o cachorro já emigrou para o país do nosso noticiário...

    Read more...

    >> 05/05/2007

    Wraygunn
    Eu vi e ADOREI!

    Read more...

    True Lie

    >> 27/04/2007

    Belenenses: jogadores assinam comprovativo de inexistência de dívidas para participar na UEFA

    Os jogadores do Belenenses assinaram o comprovativo da inexistência de dívidas ao plantel, condição exigida pela UEFA para autorizar a inscrição de um clube nas competições europeias.
    Apesar de existirem ordenados em atraso referentes à época 2005/06 (foram pagas três tranches de seis), os jogadores decidiram assinar o documento. Cabral Ferreira, presidente do emblema da cruz de Cristo, disse à Agência Lusa que «é normal os jogadores assinarem os documentos a comprovar a inexistência de dívidas, de forma a permitir a inscrição na UEFA».
    In mais futebol, 26/04/07
    Às claras, a mentira assumida torna evidente a verdade:
    A capacidade do Presidente em transformar num ápice os jogadores-credores em futebolistas investidores, em plena semana eleitoral.
    Mais tarde, comprovoar-se-á que este verdadeiro Saco Azul é um saco roto...
    Mas aí os jogadores-credores terão que pedir contas aos investidores. Certo?
    Que lindo e verdadeiro vai o futebol...

    Read more...

    Bowling for Viginia

    >> 17/04/2007

    Parabéns! O produto funciona.
    The Small Arms Manufacturing Industry's Revenue For The Year 2006 Was Approximately $2,150,000,000.
    Research and Markets has announced the addition of "Small Arms Manufacturing Industry in the U.S. and its Foreign Trade (1996-2008)" to their offering.
    This industry report focuses upon the Small Arms Manufacturing industry. This U.S. industry comprises establishments primarily engaged in manufacturing small firearms that are carried and fired by the individual. (...)This new release date contains data as current as March of 2007.
    SMALL ARMS MANUFACTURING INDUSTRY
    The industry's revenue for the year 2006 was approximately $2,150,000,000. The gross profit was 35.8% at $769,700,000. There were 178 establishments in this industry that year. Thus, average contribution (or revenue) per establishment annually was $12,051,000.
    (...)The U.S. manufacturing sector is expected to hit the monumental 5 trillion dollars net sales in 2006. U.S. economists have projected another 5% to 7% growth in the year 2007.
    De Business Wire, 11/04/2007

    Segundo o Gabinete de Estatística do Departamento de Justiça dos EUA, entre 1996 e 2005 podemos contabilizar 52031 mortos por disparo de armas no país, mais 5,765,090 vítimas de... em crimes não fatais...
    No total, são 5,817,121.
    Vendo a coisa pelo prisma destes senhores, cada vítima “valeu” 859,5 dólares.
    Ou rendeu, depende do ponto de vista.

    Read more...

    O apelo

    >> 31/03/2007

    A visita a Genéve apanhou-me numa fase sensível. Com a notícia de que um companheiro e amigo acabou de adquirir a naturalidade Suiça, chegou-me a explicação comparativa do que ganha com o gesto:

    Saúde, garantias sociais, estabilidade familiar...
    Tive direito à minha segunda ronda de explicações sumárias sobre o modelo político daquele Povo que sempre me soou a meias tintas e arrogante, no contacto social. Mantive e reforcei a sensação.
    Mas caramba: acho que percebo agora melhor porque é que, ao contrário de antes, do mais simplório ao mais sofisticado dos portugueses que por lá encontro, oiço um quase unânime "não quero voltar". E o quase unânime tem a ver com o facto de, os que pensam ir voltando, manterem lá as condições para num dia de aflição em Portugal - sem reforma, sem médico ou medicamentos, sem apoio na velhice - se poderem finar naquele pedacinho de Mundo, à beira dos Alpes plantado. E eu, confesso sem pudor, invejo-os.

    Read more...

    Springtimer


    ... E em Genéve uma lembrança, com saudades, do Relógio que deu o nome à Rotunda.

    Read more...

    Publicidade não!!!

    >> 22/03/2007


    Se mudou de casa há pouco tempo, decerto não conseguiu levar consigo (sobretudo intacto...) este melhor-amigo-da-caixa-de-correio. E se, como eu tentou encontrá-lo numa Estação de Correios perto de si, percebeu que estamos perante uma relíquia! Sim... Este pequeno autocolante, que pela Lei nos salvaguarda a privacidade da parte mais exposta de casa... não se fabrica mais há bastante tempo!
    Assim, resolvi fazer mais ou menos o papel de "Quercus" deste autocolante em vias de extinção, esperando que o Instituto do Consumidor distribua mais defesas legais contra os abusadores.
    Passei-o no scanner e... façam o favor de o imprimir em papel autocolante.
    Enquanto o perigo de desaparecimento deste amigo não passa, espero que não me processem por estar a fazer este pequeno serviço público.
    Se servir a alguém, fico muito satisfeito.

    Read more...

    In/Out

    >> 19/03/2007


    Sr.Presidente:
    Em honra dos que no Interior do país ficam sem médicos, sem GNR, sem professores, sem combóios, sem maternidades e, sobretudo, sem paciência para aturar mais atentados a quem NÃO ESCOLHEU viver no Litoral, venho agradecer a Vossa Excelência que, em plena maré cheia de Fundos Comunitários, tenha como Primeiro Ministro escolhido fazer autoestradas para o mesmo Interior do País. Ao menos, agora pode-se fugir a mais de cem à hora!

    Read more...

    De Volta...

    Lambi as feridas que a falta de tempo, as condições logísticas e a falta de ligação à rede me deixaram e, simplesmente, voltei.

    Read more...

    Allez les Bleus!

    >> 10/07/2006

    Read more...

    Adieux les Bleus!

    Read more...

    Sorry...

    >> 13/06/2006


    Hei-de voltar mal as ladies deste Mundial deixem. Com saudades!

    Read more...

    Selecção Mexicana

    >> 30/05/2006

    Ela chegou hoje ao estágio de Évora da nossa selecção e provou que, além do Mundial que os divide, há um gosto que os une.

    A começar nos jornalistas, passando pelos jogadores, acabando no público que assistia ao treino, Inês Sainz provou porque, lá do outro lado do Atlântico, lhe chamam "a beleza do Desporto". Em especial para os meus amigos que têm por missão prestar toda a atenção à selecção nacional, deixo um pequeno trabalho de pesquisa feito, poupando tempo para o que é verdadeiramente importante... Por uns pesos, podem até levar esta "Posh Chilli Spice" no telemóvel ou em vídeo.

    Se é que não têem já... :-)

    Só mais um detalhe: Alguém ficou a saber que a senhora tem um mestrado em... Direito Fiscal? Não? Mas - do mal o menos, a bem da saúde - fixem: li que ela é CINTURÃO NEGRO de Taekwando. Não confirmei com muitas fontes, mas se alguém quiser verificar...

    Amigo eu, hem?

    Read more...

    Perspectivas

    >> 29/05/2006


    De vez em quando, vou ali atrás da cortina espreitar os filmes de todos os dias, com uma legendagem diferente. E recomendo a terapia.

    Read more...

    In gerência?

    >> 28/05/2006

    Austrália entra em força e disposta a dominar tudo
    A Austrália está de armas e bagagens em Timor-Leste. Para além das centenas de militares, e até de veículos blindados e helicópteros, Camberra indicia que tem outros objectivos, desde logo porque segundo o seu primeiro-ministro, John Howard, "existe um problema significativo de governação e, por isso, os confrontos dos últimos dias são uma lição para os responsáveis eleitos", opinou Howard.
    Excerto de Notícias Lusófonas

    P.S - Segundo a imprensa, o líder dos revoltosos, Alfredo Reinado, recebeu formação das forças militares australianas.

    Boletim Informativo BACK DOOR para Timor L'este
    "Díli recebe direitos sobre 90 por cento das reservas de Timor Gap. Timor Leste recebeu ontem um salva-vidas de muitos milhões de dólares ao chegar a um entendimento com a Austrália sobre a divisão das reservas de petróleo e gás no mar que divide os dois países. Após 15 meses de duras negociações, acordou-se que Timor Leste receberá 90 por cento dos resultados da exploração e a Austrália os restantes dez por cento. Isto poderá traduzir-se entre 4 mil milhões e 5 mil milhões de dólares (880 a 1100 milhões de contos) durante 20 anos, a partir de 2004.
    A Austrália, por sua vez, deverá receber quatro ou cinco vezes esse montante com a refinação de todo o petróleo e gás, uma vez que não se espera que Timor Leste consiga desenvolver os meios para o fazer."
    John Aglionby, Público, 2001-07-06

    Read more...

    Sub Tónico

    >> 26/05/2006

    Portugal perdeu? Viva Portugal!

    Read more...

    Black Hole, 1300-591

    >> 25/05/2006

    Tropas australianas aterram hoje em Díli
    "As previsões indicam que a força internacional será composta por cerca de 1300 militares australianos, meio milhar de soldados malaios e algumas dezenas de polícias da Nova Zelândia, além da companhia da GNR, formada por elementos do Comando de Operações Especiais. Preve-se que na próxima semana cheguem ao país os primeiros 40 efectivos da companhia, que deverá estar completa até dia 23 de Junho."
    "Até lá, Ramos-Horta deverá manter os contactos com os 591 militares expulsos das F-FDTL (peticionários) e com os dois majores que fugiram de Díli no final de Abril (Alves "Tara" e Marcos Tilman), evitando que eles se juntem ao Alfredo Reinado."
    Excertos do Público e DN Online

    Esta manhã, a Antena 1 acompanhou-me a caminho do trabalho. Assim despertei para aquilo que se passa hoje em Dili, porque até aqui a vida me manteve ocupado com as coisas bem menos relevantes mais mais mediáticas que me preenchem os dias.
    Ouvi as crónicas do jornalista, a quem o destino reservou uma guerra civil para cobrir com apenas 15 dias de permanênca no território. Pontaria, camarada!
    Escutei o revoltado revoltoso Alfredo, como o institucional Alcatiri. O "clique" deu-se no texto de rodapé do jornalista.
    Afinal, os vizinhos do primeiro frente já aterravam em massa. Australianos, de Boing 737, com um vaso de guerra ancorado ao largo da capital. A pedido de um dos lados do conflito.
    Sem a cobertura da ONU. Uma invasão, portanto. Como há 31 anos.
    Decidi ler umas coisas, já percebi que tenho pouco tempo para formar uma opinião e vem aí muita matéria. A História tem estes ciclos engraçados, como me ensinaram na escola.

    Desde criança que queria conhecer a Austrália. Matei dois sonhos, em 2000, com uma ida aos Jogos Olímpicos. Descobri por lá mais do que queria: que só em 1991 é que a Austrália reconheceu oficialmente a existência dos aborígenes. Que durante os Jogos, os cafés eram obrigados por lei a sintonizar o Canal dos jogos, mesmo quando eram horas de dormir. Não, nem a pedido dos clientes podiam mudar.
    Descobri que, se nas ruas de Sidney não encontrei pedintes e vagabundos, foi porque durante os Jogos tiveram umas "férias pagas" nas escolas do interior do país.
    Que os emigrantes asiáticos da primeira e segunda geração estão entre os principais aliados da política de restrição à chegada de novas vagas de asiáticos.

    Como já perceram, hoje desconfio muito dos australianos. Destes, que chegaram hoje a Timor, de 737. 31 anos depois dos paraquedistas indonésios, que na altura os australianos depressa reconheceram como governantes legítimos do território. Com a mesma receita -ostracismo - que lá em casa praticavam com os aborígenes, mais com mais picante (leia-se 200 mil mortos).
    Li hoje que haverá por estes dias em Timor 1300 australianos para controlar 591 revoltosos. Que é no interior, junto à fronteira com os há muito amigos vizinhos, que se vai posicionar a maioria desta força. Portanto, certamente por coincidência, longe das únicas cameras de televisão no território.

    Com dezenas de Malaios a fiscais de linha deste jogo de poder, com 40 GNR´s portugueses a arbitrar... em Dili. Ou se enganam... redondamente!... os que dizem que vai mal a arbitragem portuguesa, ou escolheram-nos outra vez à falta de outros candidatos.
    Deus queira que o instinto me engane, mas duvido o nosso Conselho de Arbitragem tenha acertado na nomeação.
    Ou melhor: que não descubra ter mandado um árbitro de criquete para um jogo de rugby.
    De fato negro, cor de petróleo.

    Read more...

    Prision Break

    >> 20/05/2006

    Vaca Cowpyright encontrada na Ajuda à porta da Faculdade de Veterinária
    José Cardoso, da organização da exposição, adiantou que a estátua depois de ter sido encontrada, foi levada para a esquadra do Calvário, de onde foi levada para ser "tratada", já que apresenta uma pata danificada que necessita de restauro. Só depois regressará ao Campo Pequeno.
    Correio da Manhã Online, 2006-05-19 - 17:22:00

    Afável Cowpyright:
    A tua mamã não te devia ter deixado ver filmes até tão tarde. Fugas bem sucedidas de heróis, enredos alegóricos como o do Nemo ou Madagascar, são irrepetíveis na realidade lisboeta. Bem entendo que, perante a carga desmesurada da reabertura do Campo Pequeno, qualquer pacífico mortal fugiria, quanto mais se como tu fosse uma vaca inerte, ameaçada de integrar - por uma qualquer falha de última hora no elenco - a coreografia especial do La Féria para essa noite.
    Cowpyright, distinta como o nome indica, entendo que decidisses fugir da doença mediática, dos flashes, da Lili Caneças, da TV 7 dias, do destino que nessa noite talhou (literalmente) a sorte das tuas quase semelhantes que colaboraram. Mas a cura dessa doença, por bom que parecesse o raciocínio, nunca estaria na Veterinária. E aquele "Break a leg" que terás por incidente ouvido dessa manada de palco - pelo amor de Ápis! - não era para tomar pelo sentido literal.
    Assim, foi ao Calvário que te levou a tua cruz, e para aí ao terceiro dia, inevitavelmente, ao Campo Pequeno tornarás!
    Cowpy, do mal o menos, escapaste à nova enchente da Corrida de Quinta, com transmissão na TVI. Mas, atende ao meu conselho: se te voltar a dar um ataque de pânico ou sobretudo claustrofobia, vai antes para o lado... do Campo Grande!

    Read more...

    Radio killed the video star?

    >> 18/05/2006

    Lê-se hoje no Record Online que "...o médio Petit admitiu hoje à Rádio Renascença que o Manchester United está interessado na sua contratação.(...)Há o interesse do Manchester United e de mais equipas. Agora, o pensamento é na Selecção mas se surgir uma boa proposta para mim e para o Benfica, temos que nos sentar à mesa e conversar, começou por confessar Petit ao programa Bola Branca.

    Ora bem, alguma vez tinha que ser. Vá lá saber-se porquê, já não teclava por aqui nada de bola há muito tempo. Mas, como se trata de Bola Branca, quebro já aqui o silêncio. Em primeiro lugar, porque o programa está de parabéns. 25 anos de notícias, do consulado de Artur Agostinho ao de Ribeiro Cristovão, milhões de "cachas desportivas" e kilómetros andados nos carros, táxis, lares e auriculares do país. O CNID rendeu-lhe justa homenagem esta semana, prova que até para os jornalistas esta "fonte" se mantém incontornável. É por isso que, em qualquer redacção desportiva que se preze, há momentos que religiosamente são para ouvir a Renascença e, garanto, não é na hora do terço... é 15 minutos antes!
    Mas calma, vem agora um petit exagero: se o Petit falou à Bola Branca, como foi que o vimos dizer exactamente o mesmo à SIC e à RTP... com um micro da Renascença por testemunha?
    O Petit falou... para quem o ouviu. A Bola Branca também. Aliás, o mesmo fez o Carlos Queiroz na RTPN, desmentindo liminarmente que haja interesse do Manchester neste mesmo Petit.
    Já agora, também a RTPN esteve de parabéns, segundo o CNID, por ter o melhor programa de desporto do ano... A Liga dos Últimos.
    Pelos vistos - literalmente - é chegado o momento de alguem oferecer uma televisão aos dedicados jornaouvintes do Record.
    Entrego pessoalmente o primeiro contributo ao primeiro leitor que acusar esta chazada.
    Com um abraço de bónus, lamentavelmente menos aconchegante que os da Soraia Chaves...

    Read more...

    Whiteout

    >> 09/05/2006

    Não vá alguém ter reparado...
    Uma irritante e persistente censura técnica retirou-me da rede durante os últimos dias.
    Fiquei em branco.
    But i´m writing b(l)ack again...

    Read more...

    O pecador

    >> 13/04/2006

    Papa não quer sacerdotes «activistas»

    Bento XVI pediu esta manhã, no Vaticano, que os padres de todo o mundo sejam “amigos de Cristo” e “homens de oração”, para melhor cumprirem a sua missão sacerdotal num mundo afectado pelo "activismo frenético". Bento XVI frisou que os sacerdotes devem ser “homens de oração” para fazerem face ao “activismo frenético” de que sofre o mundo dos nossos dias.
    Agência Ecclésia, 13/04/06

    Dedico este post à memória de um grande amigo.
    Era um tipo fantástico. Todos os que o conheceram concordam: uma daquelas raríssimas pessoas que tinha sempre uma palavra sensata, que todos paravam para escutar. Desprendido de dogmas e preconceitos, dono de uma opinião própria esmagadora, esbanjava convicção, o que nunca lhe rendeu grandes amizades entre as elites...
    Nunca lhe chegava a meia medida. Entrou sempre a fundo nas curvas da vida, sem se preocupar com o dia fatídico em que esbarraria com um rail mais duro e mais forte.
    Obviamente, aconteceu. Não andou cá muito tempo.
    Era um activista frenético e pêras, mas, não era sacerdote. Ainda assim, lembrei-me logo dele quando li esta pérola do Sr. Ratzinger.
    Talvez porque faz amanhã anos que ele morreu.
    2006 anos, acho eu.

    Read more...

    Fire Paradox, parte 2

    Fogo preventivo acabou fora de controlo no Gerês
    Um fogo controlado no Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), destinado a limpar a mata e prevenir a próxima época de fogos, correu mal e acabou num incêndio florestal. O assunto é incómodo e, apesar de ter ocorrido há mais de um mês, parece estar abafado.
    As informações sobre o local exacto e valores de hectares ardidos são escassas. Contudo, existe um inquérito interno em curso e, segundo assumiu João Alves, vice-presidente do Instituto de Conservação da Natureza, "este é um assunto com alguma susceptibilidade".
    Poucas pessoas no local, abordadas pelo DN, afirmam ter conhecimento da situação. Por outro lado, nestas circunstâncias, os bombeiros locais, pertencentes ao concelho de Montalegre, não são chamados a intervir, já que o parque dispõe de brigadas de sapadores próprias. Não há, assim, registos do incêndio exteriores ao parque e o caso parece estar envolto em algum silêncio. Ao que o DN conseguiu apurar, a explicação para este descontrolo do fogo controlado praticado no parque reside na prática de queimadas ilegais, que os habitantes do parque terão tentado fazer na mesma ocasião. Ou seja, aproveitando a iniciativa dos técnicos do PNPG, alguns moradores terão tentado expandir a zona em limpeza pelas chamas por meios próprios.
    Terá sido a combinação dos dois fogos que levou ao descontrolo da situação, provocando um incêndio na zona.
    In DN, 13/04/06

    Fogo prevenido, vale por dois, diria o povo.
    Gabe-se a capacidade assim comprovada dos Maestros do PNPG em abafar asneiras, já que não o conseguiram fazer com as chamas.
    Gabe-se a qualidade literária de quem, teoricamente noticiando, apelida de controlado o fogo que se descontrolou.
    Gabem-se as gentes que habitam o Parque que, a ser verdade o que acima se escreve no DN, seguem atentamente os exemplos dos especialistas.

    Bem, é verdade: se já ardeu não volta a arder no Verão.
    E, por esta altura, a água que apaga a chama sempre sai mais em conta que em Agosto.
    Se o modelo de prevenção pega...

    Read more...

    Reverse mode

    >> 11/04/2006

    Só cábulas querem tropa
    "Só quem não tem outra perspectiva de futuro pondera o ingresso nas Forças Armadas. É uma das conclusões do estudo ‘Os Jovens e as Forças Armadas’, realizado pelo Fórum Sociológico da Universidade Nova de Lisboa. Dos três ramos das Forças Armadas é o Exército que merece maior preferência, expressa sobretudo, mais uma vez, pelos que já reprovaram. Os melhores alunos inclinam-se para a Marinha.", conta o CM.

    Olhando aos ordenados propostos, não será antes a tropa que só quer cábulas? Quem quer milagres não vai à tropa.
    Vai a Fátima.

    Read more...

    Prémio Sinta-se Em Casa 2006 vai para...

    >> 09/04/2006

    Conta hoje o Público que o Ministro Alemão do Interior e dos Desportos, Wolfgang Schauble afirmou que o Presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad será "bem-vindo à Alemanha para assistir ao Mundial de Futebol 2006." Curiosamente, ontem, George W. Bush chamava a Mahmud Ahmadinejad “Adolf Hitler em potência”.
    Não sei se foi coincidência, mas, na dúvida - como eu - parece estar o Presidente Iraniano. Tão rapidamente quanto a globalização permite, Ahmadinejad assegurou que não pretende assistir ao vivo a nenhum jogo do campeonato.
    Nem morto, portanto.

    Read more...

    Smoke them all!

    Máquinas de tabaco só em cabarés e bares de 'strip'

    As máquinas automáticas de venda de tabaco podem ser um negócio em extinção. Segundo a proposta do Governo para restringir o fumo nos locais públicos, apenas os estabelecimentos "com acesso condicionado a maiores de 18 anos" vão poder manter estes equipamentos. Mas, de acordo com a actual lei, até os bares e discotecas têm permissão para receber clientes a partir dos 16 anos. Acima da fasquia dos 18 apenas estão apenas os "clubes nocturnos e similares". Ou seja, bares de strip-tease, cabarés ou casas de alterne.
    In DN, 08/04/06

    Estão a ver, esposas de Bragança?! Fecharam os estabelecimentos, e agora?
    Onde é que se vai comprar tabaco nessa linda cidade?
    E depois admiram-se se cada vez mais maridos sairem "só para ir comprar tabaco" e não voltem mais...

    Read more...

    Irão mesmo?

    Estados Unidos admitem utilizar armas nucleares contra o Irão

    A administração de George W. Bush admite a preparação de um campanha com recurso a armas nucleares contra o Irão, destinada a destruir uma base suspeita de fabricar armas atómicas, avança a edição online da revista norte-americana "New Yorker".
    In Público, 08.04.2006 - 17h17

    Já vi tudo:
    Vem aí mais uma conferência de imprensa com sofisticadas imagens-satélite recolhidas nos últimos dias, provando ao Mundo que, afinal, as tais armas de destruição maciça que estavam no Iraque não foram encontradas porque, cobardolas como eram, pediram asilo político ao Irão.
    Eu cá propunha que os americanos lhes atirassem já, a título de medida preventiva, com umas fortíssimas caricaturas de Maomé, que comprovadamente fazem enorme estradalhaço lá para aquelas bandas.
    Ao nosso Ministro dos Negócios Estrangeiros, deixo já um aviso:
    Cale-se, Homem de Deus!
    Se não intervier decisivamente para sanar este conflito e eles se despacharem, ganhamos já - sem jogar e tudo! - um jogo no Mundial.
    Por radioactiva falta de comparência...

    Read more...

    Heil Churchill!

    >> 04/04/2006



    "O jornal The Guardian divulgou, ontem, pela primeira vez imagens chocantes de prisioneiros de guerra à guarda das forças britânicas, entre 1945 e 1947, em que são visíveis os sinais de tortura e dos maus tratos infligidos aos detidos. A história, que o jornal já revelara em Dezembro último, ganhou agora nova dimensão com a publicação das fotografias.

    O Governo britânico tudo fez para impedir a publicação das referidas fotos e a consequente revelação pública das cicatrizes do programa secreto de tortura utilizado no pós- -Guerra, mas o jornal conseguiu obter licença para o fazer ao abrigo da Lei da Liberdade de Informação."
    In DN 04/04/06

    "Não há nada tão estúpido como vencer. A verdadeira glória repousa em convencer." Victor Hugo.

    Read more...

    A puta da paridade...

    >> 27/03/2006

    Homossexuais masculinos já podem dar sangue em Portugal

    "Vai dar sangue!" é uma expressão que geralmente exprime irritação e falta de melhor argumento numa conversa de café. Daquelas literariamente pobretanas, as mesmas onde a expressão rafeira que uso no título não fere susceptibilidades, por prescindir de erudição.
    Pois é essa que uso para descer ao nível desta notícia do DN, que me lembra a discussão da paridade, a mesma que enche os discursos políticos da temporada Primavera/Verão 2006.
    Paritária, esta paridade que se quer parir à força de lei - logo inquestionavelmente democrática - alargou-se à dádiva do sangue.
    Pelos vistos, e eu não sabia, a homossexualidade também tem subdiscriminações sanguíneas activas entre mulheres e homens.
    Boa!
    Já me tirara do sério, aquela do Bento XVI, que proibindo a homosexualidade do Clero, assumia finalmente (por omissão proibitória) a sexualidade do mesmo... Paridade perdida, portanto.
    A seguir foi a do Parlamento, em que a contagem exacta de vaginas e pénis ganhou preponderância sobre a competência técnica.
    Agora, querem erradicar a discriminação entre os riscos da dádiva do HIV masculino ou feminino.
    Boa!
    E se, paritariamente falando, fossem todos para a puta ou puto que os... paritou?!

    Read more...

    Os fundamentos dos fundamentalistas

    >> 16/03/2006

    "O jornal dinamarquês «Jyllands-Posten», responsável pela publicação das caricaturas de Maomé, não vai ser processado, por falta de fundamentos legais."
    DN Online, 15/03/06

    Coerente.
    Os Dinamarqueses bem diziam que eles não eram fundamentalistas...

    Read more...

    Pois... Não traduziu.

    >> 08/03/2006

    Liga dos Campeões: Barcelona concretiza «vingança» sobre o Chelsea
    O Barcelona conseguiu a tão desejada vingança da edição passada da Liga dos Campeões e eliminou o Chelsea da competição. A equipa da Catalunha valeu-se do resultado da primeira-mão para fazer apenas o suficiente e eliminar José Mourinho da prestigiada liga milionária. [ 2006/03/07 21:47 ] Redacção MaisFutebol

    Ao menos, o Mouro ganhou os bilhetes para o Teatro.
    E ao que consta, o penaltie que lhe deu o inútil empate já nos descontos foi uma comédia...

    Read more...

    Revivalistas, claro!

    >> 05/03/2006

    Espanhóis provocam Mourinho à chegada a Barcelona

    José Mourinho foi hoje mal recebido no regresso a Barcelona onde trabalhou ao lado do inglês Bobby Robson. «Tradutor, tradutor», gritavam os espanhóis, conta a Bola Online.
    Estes catalães, realmente...
    Ainda "ontem", chamavam pesetero ao Figo, no regresso a Barcelona.
    Vamos ver se um tão aguçado paralelismo histórico não vitima mais uma cabeça de leitão, ainda que atirá-la para o banco seja mais difícil que fazê-la voar sobre a bandeirola de canto.
    Ou se a provocação, feitas as contas, não se traduz num golpe de... teatro!

    Read more...

    Luso Paradoxo


    Projecto internacional "Fire Paradox"Portugal vai dirigir projecto pioneiro no combate aos fogos florestais 05.03.2006 - 10h42 Lusa

    "Portugal vai dirigir um projecto internacional pioneiro de pesquisa sobre o fogo na floresta mediterrânica que durará quatro anos, disse hoje à Lusa o secretário de Estado do Desenvolvimento Rural e das Florestas."

    Ora bem! Nem haveria melhor "onde"! Todos sabem afinal na Europa que os nossos mediterrânicos eucaliptos ganham de goleada aos australianos no toca-a-conquistar-terreno-aos-carvalhos e que em quatro anos assim se provará!
    E afinal, onde como cá seria paradoxal estudar os fogos futuros da mediterrânica floresta que ardeu... em 2003? Bem escolhido, o nome desta série de humor!

    Read more...

    Baía ou Ricardo?

    Gripe das aves Sever do Vouga: amostras de frangos mortos atirados para ravina recolhidas hoje 05.03.2006 - 13h07 Lusa

    Será que foi uma última e desesperada tentativa do Baía para eliminar provas antes da convocatória para o Mundial? Ou eram... Lusiaves?

    Read more...

    O nosso CSI


    Sócrates recusa excesso de burocracia no Complemento Solidário para Idosos, in Público de 04/03/06
    José Sócrates negou hoje que exista excesso de burocracia no acesso ao Complemento Solidário para Idosos (CSI), durante uma sessão de divulgação em Castelo Branco. De momento já foram aprovados 613 processos e os beneficiários vão receber a nova prestação social já em Março.
    (...)Segundo os dados hoje divulgados, em apenas um mês, 57 mil pessoas foram atendidas sobre o CSI, 36 mil formulários distribuídos e 4836 requerimentos recebidos.
    Conclusão:
    A desburocratização do atendimento é de tal forma galopante, que os formulários já não chegaram para 21 mil dos atendidos... ou os primeiros 4836 requerimentos foram tantas vezes mal preenchidos que, à conta de gastar impressos nas correcções só 613 é que foram contemplados!
    Ou pior: 31164 dos requerentes eram, além de extremamente pobres, analfabetos, desperdiçando irresponsavelmente os desburocratizados impressos, esses sim, verdadeiras vítimas deste processo!
    Do mal o menos: Não há notícia de desistências por morte nas filas de espera...
    Senão, chamava-se o outro CSI para ir ao géne do problema.

    Read more...

    A mais tradicional receita para o mau estar, ainda antes do óleo de fígado de bacalhau

    Sem dor, até sem querer, nasceu há 5 minutos este blog.
    É no que dá fazerem estas coisas tão simples!
    Tentava eu postar um simplório comentário num blogzinho (abreviatura de blog vizinho) e vi lá uma coisa que dizia "registar".
    Pensei cá para mim: "Bem, ok, tenho que ter existência registada para postar, é justo!".
    Preenchi o formulário, fiz enter e...
    "Pôrra! O Post desapareeu, não se publicou onde eu queria... mas... que é isto?! Estes gajos estão a perguntar-me que nome vou dar... ao MEU Blog? MEU? Então eu só queria...".
    Pois é. Decidi logo ali não abortar. E isto não tem nada a ver com o referendo Socrático sobre o tema, que está prometido para Setembro. Não! Simplesmente pensei :
    "Se o gajo vem aí, fruto de uma fecundação ocasional, terei braços para o carregar nem que seja sozinho!"
    Em suma...
    Podia filosofar mil tangas para explicar este sublime e pensado parto. Mas não! Bem basta a este desgraçado ser filho do acaso, como raio ia eu viver com o peso da mentira, com tão pouco tempo de vida???
    Agora, já que não precisa de fraldas, ao menos carece de um nome...
    Lembrei-me logo do Chá, porque está frio. "Nada disso! Pretencioso!", terá pensado o motor de busca... "Este tanso chegou agora e queria encontrar logo um nome simples!". Tentei Chazadas... e ele aceitou!!!!! Irra, estava escrito.
    "Pensando bem, isto das Chazadas até faz sentido", amadureci eu em dois segundos "Sobretudo porque geralmente são amargas como a maioria das ironias que me ocorre escrever, admitindo umas doces, como as que tenho quando raramente estou para aí virado...".
    Ficou Chazadas. Bule comigo, este título!(Achei logo esta chalaça e teimei em gastá-la já aqui, assim à ganância...) Já estou a ver este blog citado na imprensa, como milhares de outras coisas futilmente importantes... "Chazada no Não-Sei-Quantos"... Ena pá, isto entusiasma-me!

    Caraças! Que post mais longo para começar! Isto pode não começar bem. mas começa... assim.
    Agora, vou a correr dizer a toda a gente... discretamente, como quem não quer a coisa, assim como quem... pede para passar o açucar... que já tenho um blog!
    Mas venha quem quizer. Basta trazer uma chávena para partir, ou partilhar uma chazada...
    sem dor e sem coador!

    Read more...

    Seguidores

    About This Blog

    Já aqui tomaram um chá


    counter

      © Blogger template Inspiration by Ourblogtemplates.com 2008

    Back to TOP